Não abandones o Senhor que é a fonte de água viva

Padre Moisés
Foto: Daniel Mafra

A liturgia de hoje nos leva a olharmos para dentro do nosso coração. A proposta do Espírito Santo é de que abramos o coração. O olho é a porta da alma. Tudo aquilo que olhamos vai iluminando o nosso coração. É verdade que, muitas vezes, ouvimos o que não deveríamos ouvir.

Como o Evangelho diz: “Eles têm olhos, mas não veem”. As coisas do mundo nos levam a ver somente aquilo que é aparente. Jesus diz a Seus discípulos que abram bem os olhos e os ouvidos.

Na primeira leitura de hoje, o profeta Jeremias aponta para o povo que abandona o seu Deus. E quando não nos apegamos a Deus, nos apegamos às coisas materiais e às pessoas. Todas as pessoas, quando se afastam de Deus, têm a necessidade de se aproximar de alguém ou de alguma coisa. Por isso não podemos nos afastar de Deus.

Ao olharmos para o povo que foi conduzido ao deserto, vemos que esse povo olhava para Deus, mesmo nas dificuldades. Muitas vezes, como ocorreu com esse povo no deserto, no momento difícil queremos voltar atrás. Precisamos voltar a enxergar e a ouvir a voz de Deus para ter forças.

O pecado deixa suas marcas na fisionomia dos homens; da mesma forma a graça também deixa marcas boas. É isso que o Evangelho diz: Lembro-me bem da tua feição, quando decidiu fazer a vontade de Deus.

É preciso voltar. É necessário recomeçar. O Senhor nos convida a retomarmos o caminho d’Ele. Deus sente saudades de nós, de estarmos em intimidade com Ele. Caminhar no deserto não é fácil. No período da noite faz muito frio, durante o dia muito calor. Mas o Senhor lhe diz: “Eu vos conduzo”. Talvez sua família esteja passando por alguns “desertos”, mas o Senhor lhe pede que você não desista! Pede que confie n'Ele.

O Senhor nos diz por intermédio do profeta: “Terra de pomares”. O Senhor nos conduz e nos leva à terra de pomares, mas nós nos esquecemos d'Ele. Não podemos ser ingratos com Deus! Nós exigimos que Deus faça as coisas à nossa maneira e jogamos para trás tantas graças que Ele já realizou em nossa vida. Quando não recebemos o que queremos, nos esquecemos do Senhor. Santo Padre Pio dizia em sua oração: “Fica comigo, Senhor, porque facilmente vos abandono”.

Peregrinos ouvem atentamente à homilia do padre Moisés
Foto: Daniel Mafra

Sabe por que nós, muitas vezes, abandonamos tantas coisas na nossa vida? O nosso compromisso de casal e de filhos? A nossa missão e vocação? Porque primeiro nós abandonamos a Deus, porque, primeiro, nós nos esquecemos d’Ele. Família nenhuma vai conseguir ficar em pé com os métodos que o mundo ensina. Nós vemos e ouvimos muitas coisas no mundo, mas são coisas que nos tiram e nos afastam de Deus.

Não esqueça o que Deus já fez na sua vida! Não abandone o seu Deus! Uma coisa é ir à fonte, outra é ir à cisterna. Porque quando não buscamos a verdade em Deus, a buscamos em outras “cisternas”. Por que ainda acreditamos que podemos levar a nossa vida com o mundo que nos engana e não nos leva para Deus? Não abandone o Senhor, que é a fonte de água viva.

Por que o mundo está em guerra? Porque a guerra está primeiramente no coração das pessoas por não buscarem mais Deus.

Precisamos tomar muito cuidado, com o que estamos vendo e ouvindo. Precisamos voltar a olhar para a cruz. Talvez você até escute: “A Igreja Católica não muda”. A Igreja Católica é a única que há mais de 2 mil anos está de pé e “as portas do inferno jamais prevalecerão contra ela” (Mt 16, 18).

O Senhor quer nos devolver a visão e a nossa audição. Peça a graça a Deus de ter uma visão espiritual. O Senhor nos fala em todos os momentos. Nós precisamos voltar a olhar para Deus. Seja qual for a situação que você está vivendo, Deus pode tirar um bem maior dela. Deus pode mudar tudo! Deus Pai nos convida a termos confiança e esperança n’Ele.

Quando fazemos uma experiência de decepção o nosso coração se fecha. É preciso pedir ao Senhor que abra o nosso coração. Todo aquele que se coloca a caminho chega à “terra prometida”.

Transcrição e adaptação: Jakeline Megda D'Onofrio.


Padre Moisés Coelho


Sacerdote da Comunidade Obra de Maria

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo