Para que sejas feliz, honre pai e mãe

A família é uma Igreja doméstica

Mesmo Jesus sabendo de Sua condição divina, voltou para casa e era submisso ao seu pai e mãe na terra. Nesta leitura do Evangelho de Lucas, podemos observar a submissão e obediência de Jesus aos seus pais.

“Aos doze anos, quando foi apresentado no Templo, Jesus permaneceu em Jerusalém. Maria e José, ao perceberem sua falta, voltaram à Jerusalém. Quando eles o viram, ficaram admirados. E sua mãe disse-Lhe: Meu filho, que nos fizeste?! Eis que teu pai e eu andávamos à Tua procura, cheios de aflição. Respondeu-lhes Ele: Por que me procuráveis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai? Eles, porém, não compreenderam o que Ele lhes dissera. Em seguida, desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso” (Lc 2;49-51).

Ouça esta pregação na íntegra:

A família cristã é evangelizadora e missionária

Há um tratado maravilhoso, no Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 2197, que fala não só em honrar o pai e mãe, mas também, trata da família no plano de Deus. Depois nos fala sobre a família cristã, mas inicialmente, fala somente sobre a família.

Cada casa, cada família é uma Igreja doméstica: “A família cristã é evangelizadora e missionária, mesmo sem ser missionários, mas sendo aquilo que é próprio de uma família comum. Acaba se tornando evangelizadora e missionária, uma Igreja doméstica e, talvez, possa se tornar uma família totalmente dedicada ao serviço da Igreja” (CIC 2204).

Você precisa de uma família!

Há pai e mãe que são alcoólatras; pai e mãe que têm problemas de saúde, mas essas coisas não são impedimentos para serem uma Igreja doméstica.

E, Deus, está nessa família, pois Ele veio para os enfermos, para os que precisam de ajuda. Como na família de Lázaro, onde sua irmã, Maria, era prostituta de leprosos, Jesus estava lá, mesmo sabendo que falavam mal d’Ele.

O Catecismo da Igreja Católica foi escrito para leigos, mas depois foi lançado um compêndio, mostrando as dúvidas mais frequentes e as respostas. Nele a Igreja mostra os direitos que a família tem perante a sociedade. É o contrário que a sociedade atual faz, pois a família está sendo massacrada pela sociedade.

Mostram a vida fora de uma família, onde as pessoas vivem sozinhas buscando somente os próprios interesses. Não vá nessa conversa, você precisa de uma família. Mesmo que seus pais tenham defeitos, mas ao amá-los, você estará abrindo-se à transformação que Deus quer fazer em sua vida.

“Se eu não amo, nada acontece”

Eu tenho muita saudade da minha família. Meus pais vieram de famílias de culturas totalmente diferentes. Minha mãe cuidava dos negócios do meu avô e fazia isso muito bem. Minha avó era muito dedicada e, por isso, os negócios prosperavam. Meu pai era pedreiro, um homem simples. Minha mãe e meu pais não tinham muitas coisas em comum, mas entre eles havia uma compreensão fora do comum.

O amor não é simplesmente um sentimento; ele é um verbo ativo: se eu não amo, nada acontece. Assim, como uma canção só será ouvida quando começarmos a cantar, também, só quando começarmos amar é que o amor acontecerá dentro de nós e sentiremos os efeitos desse amor.

Se eu não ando, não saio do lugar, seu eu não corro, não vou sentir a velocidade; se eu não perdoo, não vou sentir o sentimento próprio de quem perdoa. É um sentimento muito bom, como quando se sente o cheiro da comida, mas só se sente o sabor ao comer.

 O amor só pode ser sentido através de gestos

Quando amamos alguém que não merece é, então, que estaremos amando mais ainda. 

Faça gestos de amor, faça carinho. Palavras de amor, gestos de amor, demonstre o amor.

Os pais quando se dedicam aos filhos e eles os respeitam é lindo de se ver. Mas, para que isso aconteça, é preciso obediência. Assim, como na vida militar, para que tudo funcione, é preciso obedecer. 

Honre seu pai e mãe

A palavra de Deus, na primeira leitura, nos diz que devemos obedecer aos pais (Cf. Eclesiástico 3,3-7.14-17). No entanto, o tentador coloca indignação ou incompreensão entre pais e filhos para destruir as famílias.

Para que nosso coração seja curado, precisamos do Senhor. Ele pode nos reconstruir e nos levar à reconciliação com a nossa família.

Muitos pais erram porque aprendem a ser pais com os filhos e não com Deus. Precisamos pedir a Deus que tire a indignação, ressentimento e mágoa do nosso coração.

Comece agora mesmo! Decida-se por amar e colha os frutos desse gesto nobre: o amor.

Transcrição: Natalino Ueda

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo