Pregar o Evangelho com a própria vida

Padre Edimilson Lopes
Foto: Arquivo/cancaonova.com

Hoje, por meio das palavras do evangelista São João, Jesus nos diz: “Eu conheço aqueles que escolhi”. Mas precisamos nos questionar: “Será que sou conhecido pelo Senhor?”. Como isso pode acontecer? Amados, o próprio Evangelho nos responde: “O servo não é maior do que o Senhor”. E ainda temos uma promessa: “Sereis felizes se tomarem consciência desta escolha”. A escolha de Deus não é para que sejamos maiores, mas que sejamos servos.

Em Atos dos Apóstolos, vamos à expedição de São Paulo, que se dirige à Antioquia da Pisídia num dia de sábado, data considerada como o dia do Senhor para os judeus. Paulo, como um bom judeu, dirigiu-se à sinagoga e, aquilo que era comum de se fazer. Lá aconteceu a leitura dos livros históricos. Após a leitura, o chefe da sinagoga pediu que Paulo desse uma palavra, e este não perdeu tempo. Houve silêncio para ouvi-lo.

Amados, São Paulo era conhecedor da Palavra de Deus. E nós? podemos dizer o mesmo a nosso respeito? Como vamos falar sobre aquilo que não conhecemos? A Palavra precisa fazer parte da nossa vida, bem como o comer e o vestir também fazem parte.

O que fazer para sermos bons pregadores? Sermos íntimos da Palavra. São Paulo falava sobre cada trecho da Sagrada Escritura e, estando à frente de uma assembleia de judeus, exortou: “Homens, escutai!”. Paulo tinha autoridade.

O apóstolo, a partir dos textos mais antigos, fez memória ao antigo povo do Egito, falou a respeito da descendência de Davi e chegou a Jesus Cristo. São Paulo não deixou de anunciar o Senhor. Irmãos, para quantas pessoas, até o dia de hoje, durante todo este ano, você parou para falar de Jesus? Será que você, mulher, tem a coragem de falar d'Ele no salão de beleza? Fale de Jesus! Abra a sua boca e proclame o Senhor. Mas saiba que nem todos estão preparados para ouvir a Palavra d'Ele. Paulo, no entanto, não temeu; ele foi ousado, pregou sobre Jesus Cristo para aqueles judeus.

Eu e você temos medo de falar para os nossos familiares, pois eles nos conhecem e sabem se aquilo que estamos falando é coerente ou não com aquilo que vivemos. Se você, a partir de uma experiência pessoal com Jesus, mudou de vida, não tenha receio de testemunhar até mesmo para aqueles que lhe são próximos. Cada um de nós tem uma experiência pessoal com Jesus capaz de mudar o rumo da sua vida. Alguns estão em seminários, outros em comunidades, mas você, a partir desse encontro pessoal, é chamado a mudar de vida na realidade em que vive.

Todos sabiam da vida de Paulo, todos sabiam que ele era um perseguidor de cristãos. No entanto, ele não parou naquilo que os outros pensavam dele.

Aquilo que você vive, em seu dia a dia, tem o testemunhado como um cristão autêntico? Professe a fé e não fique em cima do muro, não abra mão daquilo em que crê. Paulo era convicto daquilo que professava e não temia os outros.

"Anuncie, sem medo, o Evangelho de Jesus Cristo", exortou padre Edimilson
Foto: Arquivo/cancaonova.com

Irmãos, se São Paulo ainda estivesse vivo, ele já estaria preso ou morto, pois aquilo que escreveu, em Romanos 1,18, faria dele um cristão perseguido. Saiamos do meio termo, paremos de ser cristãos "meia-boca"! Há tantas pessoas vivendo no meio termo, guiando-se em suas próprias convicções ou achismos, mas se esquecem daquilo que são as ordens de Deus descritas na Sagrada Escritura.

Verdade é verdade. Só conhecendo-a é que mudaremos de vida! Você tem medo de incomodar as pessoas? São Paulo não tinha esse medo. Quero lhe fazer um último questionamento: será que você mesmo se convence daquilo que tem pregado? Se seu receio é a falta de conhecimento, busque-o! Leia e tire suas dúvidas com pessoas que podem ajudá-lo, mas não perca a oportunidade da evangelização.

Transcrição e adaptação: Luana Oliveira


Padre Edimilson Lopes


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo