Retomar a fidelidade com Deus

Virou costume hoje em dia, quando alguém é questionado sobre a sua religião, a resposta automática ser: “Eu sou católico”. Uma resposta precipitada pode ser um grande contra testemunho daquilo que você afirma.

 

Quando você diz que é católico afirma crer em tudo o que a Igreja crer, e não fica querendo “melhorar” a doutrina com adaptações ou inventando emendas para “agradar” um número maior de pessoas.

Padre Edimilson
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Precisamos ser obedientes, como católicos, a Deus e também aquele que Ele escolheu para ser representante da sua Igreja na terra. Assim como foi Abraão, que não questionou o Pai, sobre a Sua vontade, quando Deus pediu que levasse seu único filho para a pedra do sacrifício.

 

O mundo nos faz esquecer que a nossa verdadeira identidade é a de filhos de Deus e parte do Corpo Místico de Cristo, onde estão os santos e aqueles que já estão na glória de Deus, as almas do purgatório e nós que ainda estamos lutando em vida.

Faça um exame de consciência sobre a sua fidelidade para com Deus. Pois se você é fiel, assim como Ele é em relação as suas promessas, você irá contemplar as graças d'Ele sendo derramadas sobre a sua vida.

Quando nos aproximados do confessionário, buscando a confissão, estamos procurando o sacerdote para nos arrependermos de nossas infidelidades, ou seja, das nossas falhas para com o Pai. E, mesmo Ele ciente de tudo o que fizemos, a resposta final, para um coração arrependido, é sempre a mesma: “Eu te absolvo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

A Igreja nos pede que confessemos, ao menos, uma vez por ano. E você já se preparou para viver a Páscoa de Jesus? Pois esse é o momento propício para retomarmos a fidelidade com Deus.

Claro que o preceito da Igreja que nos convida a confessarmos, pelo menos, uma vez ao ano, serve apenas como orientação, pois o correto é que busquemos o Sacramento da Reconciliação todas as vezes que necessário for.

 

"É tempo de retomarmos a Aliança com Deus."
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com


Também precisa cair por terra aquela desculpa “Eu me confesso diretamente com Deus”. Mas existe um problema nisso, pois ao dizer isso você está dizendo que não é mais católico, pois a nossa fé exige que busquemos a confissão por meio do Sacramento.

Quando contestamos isso, corremos o risco de cair em um relativismo, onde queremos trazer para nossas vidas apenas aquilo que é conveniente. Se a Igreja nos pede a reconciliação, como filhos de Deus, e obedientes a doutrina, precisamos acolher.

É tempo de retomarmos a Aliança com Deus, principalmente se você está há muito tempo sem se confessar. Se você tem consciência que as suas faltas são graves e carrega consigo pecados mortais, é preciso que você volte para Deus o quanto antes.

O Senhor se lembra sempre da sua Aliança, independente da situação que vivemos hoje. Tudo que Ele deseja mostrar para Seus filhos é que existe e sempre existirá um lugar para onde voltarmos. Talvez não tenhamos ninguém por nós neste mundo, mas sempre haverá um Pai que nos ama e deseja se reencontrar contigo.

Transcrição e adaptação: Gustavo Souza


Padre Edimilson Lopes


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo