Vencemos o combate em oração

Padre Alberto Linero
Foto: Fotos CN/ Maria Andreia

Hoje, desejo compartilhar com vocês uma reflexão para o pós-acampamento. Que essa Palavra o sustente diante das batalhas que você irá enfrentar em sua vida após esses dias de oração.

Quem dera que a nossa vida fosse um eterno Acampamento de Oração! Um encontro com os irmãos que louvam, oram e cantam, mas não é bem assim. Os acampamentos acabam, portanto, precisamos de uma Palavra que nos anime, nos sustente e nos oriente em nossa batalha diária.

Trago, a respeito disso, três pontos a vocês:

Primeiro ponto: Estamos num combate permanente. É necessário, portanto, estarmos em constante vigilância. O Catecismo da Igreja Católica, no número 408, afirma o seguinte: “As consequências do pecado original e de todos os pecados pessoais dos homens dão ao mundo, no seu conjunto, uma condição pecadora que pode ser designada pela expressão de São João «o pecado do mundo» (Jo 1,29). Essa expressão significa também a influência negativa que as situações comunitárias e as estruturas sociais, frutos dos pecados dos homens, exercem sobre as pessoas”.

Nós vivemos numa batalha permanente, pois o mal quer destruir a graça que Deus realizou em nossas vidas durante esse acampamento. Nós fomos criados para uma vida de comunhão com Deus e não para uma vida de pecado. Mas o que é o pecado? É o desprezo a Deus! É dizer a Ele que não necessitamos da Sua presença em nossa vida.

Todos os dias estamos enfrentando tentações. A grande mentira que o homem vive é acreditar que ele pode viver sem o senhor. Precisamos estar conscientes dessa tentação interior que está dentro de nós e se reflete naquilo que acontece ao nosso redor. Pergunto a você nessa manhã: “Você sabe qual é a sua tentação?”. Meu irmão, dar-se conta dessa realidade é um dom de Deus.

Saiba que, na sua luta diária, Deus já lhe deu a vitória sobre a sua tentação. Agradeça a Ele por isso. Mais importante: você não pode “dormir no ponto”. Se você fizer isso, a tentação virá e destroçará a sua vida. Esteja sempre vigilante!

Segundo ponto: O Deus da vida já nos deu armas para esse nosso combate diário. A primeira arma é a oração; sem ela não vencemos o combate, sem ela já estamos derrotados.

A Palavra de Deus, em Lucas 1,57-68, nos traz o seguinte:

Terminou para Isabel o tempo de gravidez, e ela deu à luz um filho. Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido bom para Isabel, e se alegraram com ela. No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. A mãe, porém, disse: "Não! Ele vai se chamar João." Os outros disseram: "Você não tem nenhum parente com esse nome!" Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse. Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: "O nome dele é João." E todos ficaram admirados. No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia se espalhou por toda a região montanhosa da Judeia. E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando: "O que será que esse menino vai ser?" De fato, a mão do Senhor estava com ele. O pai Zacarias cheio do Espírito Santo, profetizou dizendo: "Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo.

"Saber-se amado por Deus nos dá a certeza da vitória", ensina padre Alberto Linero
Foto: Fotos CN / Maria Andreia

 :: Veja fotos no Flickr
:: Veja + fotos também no Facebook

Aprendemos, nessa passagem bíblica, que existem três momentos (passos) para a oração:

Cuidado para você não se acostumar com Deus; é preciso deixar que Ele o surpreenda. Isso é oração! O nosso coração precisa se surpreender. O primeiro passo para a vitória no combate é você se deixar surpreender, maravilhar-se por Deus.

O mal diz ao seu coração: “Mas não existe nada de surpresa nisso! É sempre a mesma coisa, é sempre o mesmo acampamento…” Não! Deus faz novas todas as coisas. Se você não se admira, não compreende o Senhor. Abra-se à novidade que Deus tem para a sua vida!

Muitos de vocês já não se maravilham por aquilo que Deus faz! Para vencermos o pecado, as tentações de cada dia, precisamos voltar a nos maravilhar com aquilo que Jesus tem feito na nossa vida e na vida das outras pessoas.

Tarefa de casa para você: maravilhe-se! Maravilhe-se com os dons que Deus lhe concedeu, com seus filhos, sua esposa, seu marido, com aquela bela canção que você acabou de ouvir. Há muitas maravilhas de Deus ao seu redor. Aprenda a contemplá-las. Se você não se surpreende, você não é amigo de Jesus.

O segundo passo para a oração: não apenas nos maravilharmos, mas também meditarmos sobre as maravilhas de Deus. Não há oração sem meditação. Aquilo que acontece ao seu redor precisa ser incorporado. Não basta apenas maravilhar-se, é necessário trazer isso para dentro de si. Do contrário, tudo se torna apenas emoção, e isso não serve, meus irmãos.

Precisamos de silêncio, precisamos guardar no coração as maravilhas de Deus, aprender a ouvi-Lo. Nem tudo é festa, nem tudo é barulho! Precisamos ouvir o Senhor e nos questionar, meditar: “O que Ele está nos falando?”. Se você não meditarmos, o demônio nos ganhará!

Vemos, hoje em dia, que os meios de comunicação espalham mentiras e nós vamos aceitando-as sem nem sequer refletirmos sobre elas. Não! É preciso meditar, na Palavra de Deus, para obter a vitória no combate. Peçamos ao Senhor: “Jesus, ensine-me, hoje, a meditar”.

Terceiro passo para a oração: louvar. Isso mesmo, louvar. Não há nada que tenha mais poder que o louvor. Você quer vencer o mal que afeta sua vida? Louve! Louve continuamente, porque o louvor destrói tudo aquilo que sufoca nossa vida. Devemos proclamar Palavras de louvor.

Louvar, no entanto, não é somente dizer “Glória a Deus!”, mas também viver segundo Ele. É fazer das palavras de louvor ações, contar as maravilhas que Deus fez para seguir adiante. Aquele que louva é testemunha do poder de Deus. Se você acreditar no poder do Senhor você será feliz e viverá em paz. Para vencer o combate faz-se necessário acreditar no poder do Pai. E isso se faz pelo louvor. Quem louva vence o mal.

Agora, o terceiro ponto: o amor. Se você se sente amado, você vence o mal. O homem que peca se sente vazio de amor. Ele sente um terrível vazio interior. Veja, um homem apaixonado fica com aquela “cara de bobo” quando está apaixonado. Não é verdade? Mas e quando esse amor não é correspondido? Com que cara o sujeito fica?

Temos de compreender que Jesus tomou a iniciativa em nos amar, e o amor d'Ele nos cura. Você quer vencer o mal? Deixe-se amar por Jesus! Ele sempre nos corresponde. O amor para com Deus é sempre correspondido. Não tenha medo de nenhum malefício. Aquele que se deixa amar por Ele avança com segurança. Somos a “menina dos olhos” de Deus! Saber que somos amados por Deus nos dá a certeza da vitória. Ele nos defende na batalha de cada dia.

 

Transcrição e adaptação: Alexandre Oliveira (@alexandrecn)

 


Padre Alberto Linero


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo