Você é o convidado mais esperado para a Festa da Misericórdia

Eliana Sá
Foto: Maria Andreia/CN

Desde a manhã deste sábado que estou contemplando as imagem destes dois santos colocadas aqui no palco: o Beato João Paulo II e Santa Faustina. Imagina como ficou o coração desta pequena e humilde polonesa, alguém que estudou só por três anos, por causa da guerra, mas que Jesus escolheu para ser a sua Apostola da misericórdia.

Eu fiquei meditando um trecho do Diaŕio, onde Faustina relata que no convento as irmãs, ironicamente, a chamavam de 'santa'. Ela ficou abalada e disse a Jesus que ficava incomodada com aquele tratamento, e Jesus lhe disse: “você será santa, e um dia a chamarão assim não mais por ironia, mas por amor”

João Paulo II, quando canonizou Santa Faustina, também decretou que todo segundo domingo depois do domingo da Páscoa, seria, para toda a Igreja, o Dia da Misericórdia.

A Divina Misericórdia é uma devoção para os finais dos tempos, que é a ultima tábua de salvação, como diz no Diário no nº 975:

“As almas se perdem apesar da minha amarga paixão. Estou lhes dando a última tábua de salvação, isto é, a Festa da Divina Misericórdia. Se não venerarem a minha misericórdia perecerão por toda a eternidade”

Nós experimentamos a força e o poder da Divina Misericórdia, mas ainda existem tantos que não a experimentaram. No entanto, Jesus quer contar com você, para que a misericórdia d'Ele se estenda para todas as pessoas; nos presídios, nos hospitais, no trabalho, onde quer que você esteja, por ali vai passar também a força da divina misericórdia, pois nós mesmos devemos nos tornar a misericórdia de Deus para os outros.

Comece pela sua casa a ser este sinal da misericórdia, seja o olhar da misericórdia para os de sua casa. O mau é vencido com o bem, o desamor é vencido com amor, o pecado é vencido com a misericórdia, é como um perfume que é exalado no ambiente.

Eliana Sá
Foto: Maria Andreia

Jesus nos diz que, a sua imagem no quadro da Divina Misericórdia é o mesmo olhar que ele tinha quando estava na cruz. Nós contemplamos muito pouco este olhar de Jesus, e é por isso que ficamos presos nas nossas misérias e em nossos limites. Deixe este olhar de Jesus invadir a sua alma.

Não basta ter o quadro de Jesus misericordioso em casa, é preciso estar com Jesus, parar diante dele e venerá-Lo, rezar com Ele, pedindo esta graça de ser sinal desta misericórdia em casa. Qual o tempo que você investe no seu relacionamento com Jesus? Você gasta tempo com Ele que é o Senhor da vida? É bom participar da festa da Divina Misericórdia, mas e no resto do ano? Não basta participar apenas um dia da festa, é preciso que, na intimidade com o Senhor da Misericórdia, esta experiência se estenda para todos os dias.

O que é que Jesus quer dizer conosco através dos raios de Sua misericórdia? Olhar para as dores de sua vida é entender que Jesus também as nos sinais de Sua paixão, e que pela dor e pela cruz nós chegamos à ressurreição. Nossa dor termina na vitória da vida sobre a morte. Bendita dor, bendita enfermidade que nos leva para o céu, para a eternidade com Deus. Esta precisa ser a nossa meta: o céu. Esta devoção vem para nos levar para o céu, vem para que nenhum pecador se perca. Você tem direito a esta misericórdia.

Você é motivo de alegria para Jesus, e é por isso que Ele arruma um jeito de cativar o seu coração. Talvez você não esperasse, nem pensava estar aqui neste final de semana, mas você veio porque é o convidado(a) para esta festa.

Quando vamos a uma festa geralmente nós levamos presentes, não é verdade. Mas nesta festa é Jesus que lhe dá os presentes, que são as bênçãos do coração de Jesus. Se não bastasse todas as graças que podemos receber deste coração, ainda recebemos indulgencia plenária, ou seja, é como se estivéssemos nascidos novamente.

É nesse clima de esperança que nós vivemos a divina misericórdia.

Transcrição Daniel Machado

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo