O amor do Pai

Elenildo Pereira
Foto: Andréia Britta/cancaonova.com

No mosaico do Pai das misericórdias, encontramos o Pai que acolhe, em Seus braços, o Seu Filho. Não adianta saber que Deus nos ama se não fizermos uma experiência viva com esse amor.

Entre muitos atributos feitos a Deus, existe um que São João define, em seu Evangelho, dizendo que Deus é amor. Somente o amor de Deus derramado sobre nós pode nos fazer pessoas melhores.

Se nós somos criados à imagem e semelhança de Deus, e Ele é amor, nós só podemos ser imagem e semelhança do Amor.

Quando fazemos a opção de não amar, fazemos a pior escolha, pois somos como alguém que se tornou desfigurado. No entanto,  quanto mais amamos, mais nos aproximamos do que devemos ser, imagem e semelhança de Deus.

No mosaico visto no Santuário do Pai das Misericórdias, na Canção Nova, temos um filho que retorna par a casa do pai com a roupa toda rasgada. O Pai, assim como no Evangelho do filho pródigo, pede para trazerem uma roupa nova.

Muitos católicos sabem que Deus os ama, mas ainda não O experimentaram;no entanto, é a experiência com o amor do Pai que nos faz ter atitudes novas.

Deus não ama a multidão, Ele enxerga e ama de forma pessoal. Mesmo quando temos uma família grande, Deus ama cada um de forma singular. O amor de Deus visita cada pessoa no Seu Filho e por meio do Seu Espírito Santo.

Todo aquele que crer no amor de Deus não perecerá, mas terá a vida eterna. Depois da encarnação de Jesus, não se pode mais duvidar do amor de Deus. São João vai nos dizer que, ao amar o mundo, Deus enviou Seu Filho amado para nos salvar.

Leia mais:
.: Deus quer que vivamos o batismo no Espírito Santo
.: Os dons infusos do Espírito Santo

Temos, hoje, o privilégio de contemplar um Deus que não somente anda conosco, mas que se encarnou, que se fez homem. Quem dera compreendêssemos o amor de Deus!

O Senhor se fez homem para nos conduzir à santidade. Percebamos, assim, a grandeza do amor d’Ele por nós. Nós nos configuramos amor quando, em cada situação de nossa vida, somos amor.

Triste de nós quando abandonamos a casa do Pai! O filho pródigo tinha tudo o que precisava, mas, ao deixar a casa do Pai, acabou perdendo tudo o que tinha.

Não viver na casa do Pai, no amor de Deus, faz de nós pessoas desfiguradas.

A maior perda de um homem e uma mulher é não amar a Deus nem as pessoas que estão ao seu lado. O maior investimento na vida é amar e ser amado.

Transcrito e adaptado por Saulo Macena

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo