Não fecheis o coração

Padre Anderson Marçal - Foto: Daniel Mafra

Padre Anderson Marçal – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

“Oxalá ouvísseis hoje a voz do Senhor: Não fecheis os vossos corações.” (Salmo 94)

É típico, nesta semana da Quaresma, falar-se muito das leis de Deus. Nos primeiros dias, fala-se do jejum, da esmola e da oração. Na primeira semana, fala-se da oração; na segunda, sobre a misericordia de Deus e de como devemos nos preparar para o encontro do Senhor. Esta semana, que é a terceira, coloca-nos como que um apelo de Deus, pois Ele não quer perder ninguém, por isso, nos dá a Palavra que salva e liberta.

O salmo de hoje é um pedido de Deus para não fecharmos o nosso coração. Deus está gritando, por meio de sinais, para que tenhamos uma profunda experiência com Ele. O que você já pode dizer que colheu, concretamente, desta Quaresma de 2015?

É o apelo de Deus: “Ah, se vocês me ouvissem e reconhecessem o que signicam as minhas leis!”.

A Palavra do Senhor é uma estrada a ser percorrida, a qual nos leva ao encontro com Ele. Com certeza, motivadas por inúmeras coisas, as pessoas fazem penitências e rezam mais; até porque, nas paróquias, realizam-se multirões de confissão. E quais são as possibilidades de uma verdadeira fraternidade depois que a Quaresma acabar?

É hora de percebermos o que já mudamos e quais frutos estamos colhendo. Se ficarmos com esse questionamento, já está de bom tamanho!

Muitas vezes, pensamos que escutar Deus é ir contra a nossa humanidade, contra nossa liberdade e vontade. Mas não é isso! A Lei do Senhor é a forma que Ele encontrou para irmos ao encontro d’Ele e sermos felizes. Cada vez que decidimos trilhar o caminho da Lei de Deus e de Sua Palavra, nós O encontramos. A sede mais profunda do coração humano é encontrar o Senhor. Quem não O encontra fica pulando de um lado para o outro. Enquanto não encontrarmos o Senhor, não encontraremos nós mesmos.

A Palavra de Deus é um lugar de encontro com o Pai; não apenas um conjunto de normas. Por consequência, quando não O encontramos, aparecem inúmeros problemas na nossa vida.

A primeira consequência é seguir as más inclinações do coração. Em nosso coração existem inclinações más, paixões desordenadas, aquela voz que grita dentro de nós: “Faça o que você quiser, roube, mate, cobice…” Não existe ordem, não existe lei, porque as pessoas não escutam a voz do Senhor.

O coração sem a lei de Deus é terra de ninguém. Se é terra de ninguém, qualquer pessoa pode chegar e estragar aquele coração.

Jeremias continua dizendo que as pessoas que não escutam Deus andam para trás, não dão passos para frente. Esse é um risco até para aqueles que fizeram uma experiência com o Senhor. Se não alimentarmos nossa intimidade com Deus, andaremos para trás. No entanto, a vida espiritual é um contínuo “dar passos” para frente.

Deus quer se encontrar com todos nós. Quando o coração se deixa levar pelas bagunças, pelas coisas mais fáceis, se perde. Coração de cristão que é terra de ninguém é terreno propício para o diabo. Essa pessoa é constantemente puxada para trás, levada por rancores, ódios e vícios.

Pessoas que estão na Igreja, que fazem parte de pastorais e comunidades estão muito acomodadas, só porque fazem parte de alguma coisa. Acordem! Quaresma é tempo de rasgar o coração ditante de Deus.

Aqueles que se deixam levar pelas más inclinações reivindicam demais, têm desejo de triunfo, querem vida boa. Quem não escuta o Senhor e não trilha este caminho chamado “lei de Deus” é guiado pelas más inclinações, não dá passos para frente, mas para trás.

Quantos, infelizmente, apesar de terem feito uma experiência com Deus, se deixam levar por suas más inclinações! E as coisas não acontecem. Quem não cresce mais aos olhos do Pai quer crescer aos olhos dos homens. Coloque-se no seu lugar! E o seu lugar é na estrada que o leva ao Senhor Deus.

Peregrinos participam da Santa Missa na Canção Nova nesta quinta-feira de adoração.

Peregrinos participam da Santa Missa na Canção Nova nesta quinta-feira de adoração – Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Quem não escuta o Senhor não tem como falar d’Ele. Quem não para para escutá-Lo não fala d’Ele, mas de si mesmo.

Quem não ouve o Senhor não aceita ser corrigido. A Palavra de Deus não condena nem agride ninguém.

Quem não escuta vai falar do quê? Vai pregar uma hipocrisia do que não vive? Ouvimos inúmeras pregações “mamão com açúcar”, que não comprometem ninguém, nem quem fala, nem quem escuta.

Quaresma é tempo de mudança; conversão é para todo mundo. Quem ouve e quem fala se compromete. Aquelas pregações mais ou menos não convertem ninguém!

O interessante, desta liturgia, é que, quando Jeremias termina o que ouvimos hoje, o Evangelho começa dizendo: “Jesus estava expulsando um demônio que era mudo”. Perceba que quem não escuta Deus, fica mudo. Mas, no Evangelho de hoje, quando o Senhor soprou nos ouvidos daquela pessoa, ela começou a falar.

O demônio não tem oportunidade de nos deixar mudos se dermos espaço para Deus. Nossa oração, muitas vezes, é um monólogo em que só falamos. Mas o silêncio também é oração. Quando temos o coração desejoso de ouvir Deus, os demônios vão embora, porque o diabo não aguenta ficar no mesmo lugar que o Senhor. Mas coração sem a Lei de Deus é um lugar propício para o diabo.

Transcrição e adaptação: Rogéria Nair


Padre Anderson Marçal


Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo