Passos para bem viver o seu luto

marcio mendes

Márcio Mendes
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Descubra quais são os passos para viver bem o luto

Quando falamos de morte, praticamente é a mesma coisa de falar de trauma.
Nós temos medo de morrer, muitos de nós são traumatizados pelo medo de perder alguém, por isso não vivemos bem o luto.

Existe cura para os traumas da morte?

A cura para os traumas da morte é a fé. Se todos nós sabemos que, um dia, morreremos, precisamos entender que as pessoas ao nosso redor também vão morrer. Só há um jeito de não perdermos nenhum ente querido: morrendo primeiro que ele.
Creio que Nosso Senhor nos colhe no momento propício da nossa salvação.

A preparação para a morte

Nós precisamos voltar a aprender a nos prepararmos para esse momento. Hoje, não somos mais preparados para morrer ou para viver na sabedoria de que vamos morrer. Vivemos como se não fossemos morrer, e a partir disso surgem os traumas da morte, pois nos desesperamos quando estamos despreparados.

Como se comportar diante da morte?

O choro é bom, pois as lágrimas sinceras curam. Admita a dor, pois é um momento para se permitir viver os sentimentos humanos. Depois de cumprir o luto, enxugue as lágrimas e console-se. Se você não superar o luto, quem vai morrer é você.
Não fique recordando, com tristeza, a pessoa falecida, pois não há volta. Depois que a pessoa morreu, deixe-a descansar.
O amor é a pedra preciosa que podemos dar para as pessoas enquanto estão vivas. Se você a amou, essa pessoa que morreu levará esse amor para junto de Deus.

A cura dos traumas da morte

Jesus, diariamente, quer curar nosso coração dos traumas da morte. O que nos faz termos medo? A pouca fé. O contrário do medo é a fé. O corajoso não é aquele que não tem medo, mas é aquele que tem fé. A coragem é a habilidade de agir por meio do medo.
Quem tem fé nunca será escravo do medo. Esse é o momento de ter calma e enfrentar o luto.

Assista a um trecho da pregação:

Leia mais:
.: O que aprendemos com a morte?
.: O que a Igreja ensina sobre a morte

 

Transcrição e adaptação: Letícia Barbosa

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo