Assumir que precisamos de cura interior

Padre Rufus Pereira
Foto: Wesley Almeida

É bom que compreendamos o que aconteceu ontem. No dia anterior, eu focalizei mais sobre a importância de ouvirmos a Palavra de Deus.

Com frequência as pessoas cometem um engano quando são chamadas a orar por alguém. Elas começam logo por impor as mãos sobre as pessoas e começam a rezar. E isso é contrário ao que Jesus e os apóstolos fizeram. Jesus não foi por toda a parte impondo as mãos sobre as pessoas. Por isso que é importante ler a Bíblia, ler os Evangelhos, antes de se iniciar qualquer ministério. E eu usei o dia de ontem para partilhar com você sobre a importância do Evangelho.

Lamentavelmente, temos deixado a Palavra de Deus para o final dos nossos momentos de oração. A nossa fé cristã descreve Jesus como sendo o Verbo, a Palavra de Deus. O nosso foco deve ser em vir aqui e ouvir a Deus que nos fala através de Seu Filho, a Palavra Viva. Eu dizia sobre a importância da Palavra de João 3,16. Jesus ensinou a Nicodemos sobre a necessidade de um novo nascimento. E este novo nascimento não é segundo a carne, mas sim pela força do Espírito Santo.

O Cristianismo é a religião do amor. E, para São João, a única maneira de se definir a Deus não é por meio de uma grande tese ou livro, mas sim através de uma única frase: “Deus é amor”.

Se vocês estivessem acompanhando o caso que atendíamos ontem, vocês veriam que foi o caso mais difícil que já atendi até hoje! Daí, vocês perceberiam que o demônio realmente existe. A Bíblia o chama como o nosso inimigo. Por outro lado, Jesus não nos chama mais de servos, mas de amigos. Somos amigos de Jesus! Aplaudamos ao Senhor por esta maravilhosa notícia!

Ontem, quatro homens estavam segurando aquela pessoa. Nunca havia visto uma manifestação demoníaca como a que vi ontem! Mas, para encurtar a história, depois eu estava segurando na mão desta pessoa, que agora estava liberta e com um semblante angelical. Portanto, eu nunca me cansarei de repetir sobre o poder de Deus. Tudo é possível a Ele!

Jesus diz a mim e a você: “O meu trabalho está completo. Agora Eu volto para o meu Pai. E vocês devem continuar a minha missão. Levar a cura e a libertação a todos os povos e proclamando a Palavra de Deus”. Isso está nas Sagradas Escrituras. E o inimigo de Deus não gosta que eu fale sobre isso. Mas é a verdade, meus irmãos! Isso está na Bíblia.

Nós fazemos a pregação. Preparamos o caminho, mas é Deus quem cura, meus irmãos. Eu gostaria muito que os padres do Brasil estivessem comigo na sala que eu estava ontem. Daí veriam a tremenda força do inimigo. E veriam também a força infinitamente maior do Espírito Santo de Deus!

Quero enfocar algo muito importante: os Evangelhos não são teorias. Não são simples filosofias. São histórias concretas, meus irmãos. Em primeiro lugar, Jesus veio para curar os doentes de qualquer enfermidade. E, diante destas diversas enfermidades, há a necessidade da cura emocional ou cura interior.

"A cura interior é a cura mais importante para nós", assegura padre Rufus em sua pregação
Foto: Wesley Almeida

 :: Veja fotos no Flickr

:: Veja + fotos também no Facebook

 

Se você tem um problema pequeno, uma oração é suficiente. Mas se o problema é maior, você precisa de um atendimento com alguém. E, se o problema é ainda maior e você precisa de tempo para esta cura, então você precisa de um retiro de cura interior como este. Eu fico muito feliz em constatar que vocês vieram de vários lugares do Brasil para este encontro. Em muitos lugares, as pessoas logo vão embora. Aqui na Canção Nova, entretanto, as pessoas sempre estão chegando. Louvado seja Deus por isso!

A Palavra de Deus nos cura. Nunca se esqueça disso! Ela tem o poder para nos curar. Também é preciso acolher a pregação da Palavra. Mais importante do que ouvir a Palavra é refletir sobre ela. Por isso que eu sempre convido as pessoas a trazer um caderno e anotar aquilo que Deus foi falando ao seu coração para, depois, meditar sobre a Palavra de Deus.

Quando estamos presentes num grande encontro como esse, percebemos que não estamos sozinhos. Existem pessoas que também estão sofrendo, assim como nós. E, quando escutamos o grito, o clamor, o choro das pessoas, precisamos nos colocar em oração por elas. Rezar por elas no silêncio do nosso coração. Num encontro como esse, tocamos no poder da intercessão. E quando oramos uns pelos outros, Deus vai nos curando em primeiro lugar.

Agora quero dizer a vocês porque um retiro de cura interior é tão importante: em primeiro lugar, porque se estamos doentes fisicamente precisamos de cura física, se estamos oprimidos precisamos de libertação e se estamos emocionalmente machucados precisamos de cura interior. E esta é a cura mais importante. Nosso Deus é o Deus da paz. Ele não é o Deus da guerra. São Paulo nos diz que “O Deus da paz vos cure completamente”. Esta é a vontade de Deus: que sejamos interiormente restaurados, curados. O Senhor quer nos curar profundamente. Ele quer que fiquemos sem nenhuma falha. Perfeitos. Aplaudamos ao Senhor por isso também!

A segunda razão é porque precisamos dessa graça. Sabemos que Jesus veio para nos libertar do poder de satanás. E Ele veio também para nos curar emocionalmente. É Cristo que nos convida: “Vinde a Mim!” Ele quer nos curar de nossas feridas emocionais.

O Senhor quer nos curar dos hábitos compulsivos de pecado, como os vícios do álcool e das drogas. Desde o momento em que fomos concebidos coisas foram acontecendo conosco. E os efeitos disso estão influenciando a nossa vida de uma maneira muito ruim. São Paulo também viveu esta luta ao afirmar: “Não faço o bem que quero, mas o mal que não quero!” E não é o que acontece conosco? Também nós, todos os dias, não conseguimos fazer o bem que quereríamos fazer.

Os grandes milagres que tenho visto não são de cura física, espiritual ou de libertação. Mas sim os milagres de cura interior. E você não pode achar que você simplesmente pode continuar caminhando assim, sem necessidade de uma cura interior.

Certa vez, estava pregando na África para os sacerdotes de uma grande diocese e um grupo de religiosas trouxeram uma menina até mim. Ela deveria ter uns 14 anos de idade. E eu perguntei a ela: “O que você quer?” E ela me respondeu: “Quero uma bênção!” E eu respondi: “Não dou bênção nem maldições. Apenas rezo por problemas. Você tem algum problema?” E ela me disse: “Não tenho nenhum problema. Quero apenas uma bênção”. E eu disse: “Todo o mundo tem problemas. Eu tenho problemas! Você não tem problemas?” E ela continuou afirmando que não tinha nenhum problema e que queria apenas uma bênção. Contra minha vontade, coloquei minhas mãos sobre ela e, nesse momento, senti a sua garganta se mexendo e ela ficou muda.

Como ela não conseguisse falar, eu lhe dei um papel e caneta para que ela pudesse expressar o seu problema. E aquela menina escreveu no papel: "Eu não tenho problema". E eu insisti com ela: “Você tem um problema, sim! Pelo menos este problema da sua mudez”. Achei aquilo estranho. Pedi então que as irmãs a levassem para fora e conversassem com ela para que ela pudesse dizer ao Senhor sobre os seus problemas. Então, novamente, ela veio até mim e escreveu no papel: "Sim, eu tenho um problema". E, no momento em que ela colocou o ponto final em sua frase, voltou a falar.

 

Assista a um trecho desta pregação:

 

 

 

Quero concluir preparando você para a próxima palestra, na qual eu vou explicar como rezar pela cura interior. Como se preparar para a cura interior? E, para antecipar um pouco a minha próxima palestra, existem três passos:

1º passo e o mais importante: encontrar as causas-raiz do meu problema. Sem isso, nenhuma cura acontece. É necessário pedir ao Espírito Santo que nos ajude a encontrar as verdadeiras causas do nosso problema.

2º passo: remover os bloqueios para a nossa cura (especialmente aqui no Brasil isso é muito importante). E a primeira razão pela qual as pessoas não são curadas é porque não sabem a causa do seu problema. Elas só trazem os sintomas, mas não a doença. E o mais importante: a causa dessa doença. A segunda razão pela qual as pessoas não são curadas é porque não removeram os bloqueios da sua cura. O bloqueio de não perdoar as pessoas, o bloqueio de não se arrependerem do mal cometido e o bloqueio de não terem renunciado ao envolvimento com as práticas ocultas que tiveram.

 E depois é que vem o 3º passo, que é a oração pela cura interior. E esse é o passo menor. E aí tudo segue com a lógica.

Se você seguir estes três passos, prestando atenção em cada um deles e indo ao próximo passo, não existe problema que tenhamos que Deus não possa curar, porque nada é impossível para Deus, se você ouvir a Sua Palavra.

 

 

Transcrição e Adaptação: Alexandre de Oliveira

 

 

 

 


Padre Rufus Pereira


Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo