A felicidade só se encontra em Deus

Natalgil Silva

Natalgil Silva
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Deus criou o homem para viver de forma plena e feliz, mas o pecado nos afasta do propósito d’Ele

Deus quer nos falar sobre a importância de sermos homens e mulheres cheios do Espírito Santo, pois só podemos ser vivificados e fortalecidos por Ele, só a ação do Espírito pode nos curar e transformar.

Seremos aquilo que Deus quer apenas quando tivermos experiência com o Espírito Santo. Os apóstolos, no dia de Pentecostes, tiveram que experimentar o Espírito, este foi o caminho para que Deus pudesse os direcionar. Prova disso foi que, naquele dia, impulsionado pela autoridade do Paráclito, Pedro pregou e mais de três mil pessoas se converteram.

A separação do pecado

Contudo, o que impede o Espírito Santo de trabalhar em nossa vida, de encher-nos, é o pecado. Deus criou o homem para participar da vida bem-aventurada, como diz o Catecismo da Igreja, ou seja, para participarmos da alegria plena. Fomos criados por Ele e para Ele, contudo, com o pecado, o homem se afastou do seu propósito e motivo de ser.

Tudo o que Deus faz é bom e perfeito. Por que é importante compreender isso? Para compreender que toda imperfeição que vivemos advém do pecado. Essa é a causa de toda maldade, perversão e injustiça que existe neste mundo. O pecado tira a ordem estabelecida, pois tudo o que Deus faz é organizado, mas o desvio do propósito gera a desordem.

Pecado é eu dizer não a Deus. Essa foi a atitude de Adão e Eva, quando, cedendo à tentação, tomaram do fruto proibido. Assim se perdeu a graça e a comunhão que o homem teve com Deus no Éden. Todo caos, injustiça e violência são frutos da escolha pecaminosa da humanidade.

Deus criou o homem para viver plenamente

Deus criou o homem para a vida, mas com o pecado veio a condenação para a morte, tanto física quanto espiritual; essa segunda é a pior de todas as consequências, a separação eterna do amor de Deus.

Vivemos em um mundo de irreverência e insubmissão, mas como nos adverte o Apóstolo Paulo, os males que vem sobre nós, são resultado do nosso próprio pecado, pois o salário dele é a morte. Desobediência é o caminho da morte, do sofrimento e da falta de paz. Precisamos nos voltar para Aquele que é o dom gratuito de Deus, por Cristo Jesus, é a Sua graça e misericórdia.

Leia também:
Como entrou o pecado no mundo?
O amor de Deus nos salva e liberta do pecado
Abandonar o pecado e viver na graça de Deus

Não devemos perder a nossa esperança ou fé em Deus, não importa quem está caindo e se corrompendo a nossa volta, mas tendo como alvo Cristo, pois apenas Ele pode nos livrar da separação eterna.

Tão ruim quanto a morte física é a debilidade espiritual, que nos faz católicos de boca, que não vão à igreja, não meditam a Palavra, não rezam, mas dizem ser católicos, apenas para ter uma religião. Quando pecamos inveteradamente vivemos assim, deficientes na fé.

Cristo Jesus é mais poderoso que o pecado

Mais poderoso do que o pecado é o poder do sacrifício de Cristo Jesus, o Seu Sangue nos purifica de todo mal. Só a misericórdia d’Ele pode salvar o pior dos pecadores, pois para Ele não há limites para perdoar. Se reconhecemos nossos pecados, podemos alcançar o perdão. Mas isso é apenas possível diante do reconhecimento da necessidade da misericórdia e de um sincero arrependimento.

Para encontrar a felicidade é preciso encontrar a Deus

O caminho da felicidade, segundo Santo Agostinho, a busca da felicidade, é a busca de Deus. Quer ser feliz? Entregue sua vida a Deus, abandone vida de pecado e busca uma verdadeira conversão. Pois se nós nos dispusermos a reconhecer e nos converter, Ele está sempre com os braços abertos para nos receber. O encontro com Deus é o encontro com a genuína felicidade.

Banner do canal PlayCancaonova no Youtube

Transcrito e adaptado por Jonatas Passos

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo