Um tempo novo

Precisamos de resistência para aguentarmos o tempo novo em nossa vida

Um tempo novo

Padre Fábio Camargos.
Foto: Paula Dizaró/cancaonova.com

Nós não podemos “envelhecer”, no sentido de : nos tornar sempre novos e nunca perder a capacidade de nos maravilhar.

Em Lucas 5,33, podemos ver duas partes distintas. Na primeira vemos os fariseus aproximando-se de Jesus ,com arrogância e criticando Seus discípulos, pois, eles comiam e bebiam diferente dos que jejuavam.

Na segunda parte, Jesus conta a parábola da “roupa nova e da roupa velha” e do “vinho novo em odre velho”. Mas o que essas coisas tinham a ver com a questão dos discípulos?

Na época de Jesus, o vinho era feito de uma forma muito artesanal, forma essa em que a uva era pisada, seu suco descia para a fermentação e precisava o deixar descansando em uma pele de animal, onde fazia-se uma bolsa, isso era chamado de odre, e ali era o local em que acontecia o processo máximo do vinho.

Então, se o vinho novo fizesse pressão no couro velho, esse couro arrebentaria.

Assim, Jesus faz a comparação e mostra que o vinho velho não exige da gente, ele é bom, mas não exige mudança. A mudança, o novo, exige de nós que saíamos da zona de conforto, que nos “desinstalemos”, que deixemos o comodismo. 

Jesus liga as duas partes do evangelho dizendo que, os seus discípulos estavam acomodados enquanto Ele estava lá, mas, quando Ele voltasse ao céu, precisariam de resistência para continuarem firmes.

Por isso não podemos envelhecer no nosso interior. Precisamos renová-lo de tal forma que, quando vier as situações difíceis da vida, possamos ter resistência espiritual para aguentarmos.

O tempo novo exige de nós resistência, mas também, a força de saber deixar para trás o que não cabe nesse tempo. Precisamos estar firmes, para que não quebremos nessas mudanças, porque assim como uma mudança de casa, mudanças de vida e de fase também exige de nós força.

Confira um trecho da pregação:

Leia também:
.:Vigilância interior
.:Ele nos dá a vitória

Transcrito e adaptado por João Paulo dos Santos

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo