Cristo nos dá a verdadeira alegria de viver

Frei Josué Pereira de Sousa
Foto: Paula Dizaró/cancaonova.com

A alegria de viver só é alcançada no relacionamento com Deus

Hoje, aprouve Deus nos dar a oportunidade de meditarmos sobre a verdadeira alegria de viver, que só é alcançada e vivida ao nos estreitarmos no relacionamento com Ele.

Santo Padre Pio Dizia: “O meu passado eu entrego à misericórdia de Deus; o meu presente a Sua graça; e o meu futuro a Sua providência”. Assim, precisamos nos alegrar na salvação, certos de que Ele nos deu a maior conquista, pois não adiantaria ter tudo, neste mundo, mas perder nossa alma para o inferno.

A graça de Cristo

O sangue de Jesus nos perdoou de todo pecado, mas a genuína salvação vem da nossa consciência do pecado e da obra salvadora do Cristo Crucificado. Satanás é agiota, nada é oferecido por ele sem um custo muito alto. Cristo, por outro lado, dá-nos, gratuitamente, a salvação. Contudo, como podemos querer viver da mesma forma pecaminosa depois de recebermos tamanho presente?

A alegria genuína só é produzida em nossa vida quando, aliviados do peso do pecado e certos da misericórdia de Deus, não somos mais perseguidos, diariamente, pelo medo da perdição eterna, quando nos enchemos da certeza da salvação, comprometidos com a santificação. Como isso acontece? Quando aniquilamos, constantemente, a nós mesmos, para que o Santo Espírito possa nos transformar.

A transformação pelo Espírito Santo

Deus nos dá a oportunidade de, diariamente, aniquilarmos a nós mesmos para que Ele possa trabalhar e nós. Mesmo imperfeitos, falhos e incapazes, o Espírito Santo, dia a dia, quer trabalhar em nós.

Redescobrindo a alegria da vida na certeza da salvação

A perfeição da obra de Deus está impressa na criação, no esplendor do mar, das florestas e de cada detalhe magnífico feito por Ele. Nós não somos diferentes, Deus nos criou para sermos perfeitos, mas a prática do pecado nos distancia do ideal d’Ele. Cristo nos permite voltar a esse ideal, sendo moldados pelo Santo Espírito em nossos corações, produzindo frutos e dons.

A importância de falar em línguas 

Você fala em línguas? Este é o meio pelo qual Deus nos permite, como crianças ainda inábeis com a fala, exprimirmo-nos a Ele e, por meio do Espírito, elevarmos a Ele nossas angústias, nossa gratidão e nossos louvores. Não reprimamos o Espírito, mas aperfeiçoemo-nos, a cada dia, no relacionamento com Cristo.

Persistir em nos relacionarmos com Deus

Não deixemos de visitar o sacrário, de tomar parte na comunhão e rezar, pois, só assim, conseguimos manter nosso relacionamento com Cristo, só assim teremos, constantemente, renovada em nós a certeza e a alegria da salvação, podendo assim encontrar a verdadeira alegria.

Transcrição e adaptação por Jonatas Passos

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo
Vocacional