O dom da confissão

Gabrielle Sanchotene. Foto: Arquivo/Cancaonova.com

Gabrielle Sanchotene. Foto: Arquivo/Cancaonova.com

Confissão, a cura adequada para as nossas feridas

Muitas vezes, nós achamos que não somos dignos do abraço, do perdão de Deus, porque o nosso pecado é muito grande, mas isso é exatamente o que Deus quer, Ele quer os nossos pecados, que nos transformar, através do perdão.

A Confissão é a cura adequada para as feridas geradas pelo pecado. Mas, para vivermos bem esse Sacramento, precisamos traçar alguns passos:

1- Examinar a nossa consciência

Seja concreto, seja realista, somente nós podemos entrar dentro de nossa consciência. Você precisa se examinar e ver quais são os pecados cometidos por você. Quando olhamos para dentro de nós, precisamos perceber o que, de fato, são os nossos pecados. Não adianta querermos confessar os pecados de outra pessoa, pois esse é o momento de nós sermos curados. O Sacerdote tem o remédio para as nossas enfermidades, por isso precisamos examinar a nossa consciência e falarmos o que realmente é o nosso pecado.

Não adianta escondermos de nós mesmos os nossos pecados, precisamos ser concretos. Por exemplo, se confesso que pequei contra a castidade, preciso dizer se eu pequei contra a castidade sozinho, me masturbando ou se pequei contra a castidade com a minha namorada ou saindo com a esposa do vizinho. São circunstâncias graves diferentes, que precisam ser reveladas na confissão. Assim, durante a confissão e depois da absolvição, durante a indicação da penitência, o padre poderá prescrever o “remédio”, de acordo com as nossas enfermidades e necessidade de conversão. Não adianta escondermos de nós mesmos e do sacerdote as nossas misérias.

Nós estamos no tempo da misericórdia e esse tempo passa. E por que ele passa, eu preciso vivê-lo bem. Eu preciso saber que tenho um lugar onde posso ser reerguido das minhas misérias. Não é porque sou pecador que eu preciso ficar no pecado. Eu posso viver uma vida na graça de Deus, embora eu caia outras vezes. O importante é sempre buscar uma vida de conversão, de luta contra o pecado, recorrendo sempre ao Sacramento da Confissão.

É tempo de buscar o Céu. Buscamos o Céu quando cultivamos o desejo de acertarmos todos os dias. Nós iremos errar, iremos cair, mas contaremos com a graça de Deus. Jesus, sabendo de nossa pequenez, nos deu os sacerdotes, que podem absolver os nossos pecados. Os padres têm o remédio para curar as nossas almas: o perdão de Deus, a graça santificante do sacramento que é derramada sobre nós. É uma graça do Alto, uma graça do Céu.

Se você, tem algum medo ou receio de se aproximar de um padre e se confessar, dê este salto na fé e não esconda os seus pecados. Saiba que se eles revelarem o seu pecado dito na confissão, eles serão excomungados. Existe o segredo de confissão que os impedem de fazer isso.

Gabrielle Sanchotene prega na Festa da Misericórdia. Foto: Arquivo cancaonova.com

Gabrielle Sanchotene prega na Festa da Misericórdia. Foto: Arquivo cancaonova.com

2- Arrepender-se

É preciso arrepender-se e o simples fato da pessoa querer se confessar já demonstra ser um sinal de arrependimento, mesmo que inconsciente. Se você tem um mínimo de sentimento de arrependimento, já é o suficiente para Deus nos dar a libertação. O arrependimento é o primeiro passo no caminho de conversão e é necessário para que a confissão aconteça. O arrependimento vem pelo temor de ter sido infiel a Deus e de sofrer as penas por isso, mas também pela sincera e perfeita contrição de não ter correspondido ao Seu amor. São as formas de arrependimento. Mas, peça a Deus a graça de se arrepender dos seus pecados numa perfeita contrição.

3 – Rezar pedindo uma boa confissão

É preciso rezar pedindo a graça de uma boa confissão. Permita que o próprio Deus ilumine sua consciência na oração, fazendo um bom exame de consciência, para que você, na hora da confissão, possa falar claramente sobre os seus pecados e receber o perdão de Deus.

4- Confessar os pecados graves

É preciso confessar os pecados graves ao sacerdote dizendo o que fizemos e as circunstâncias em que estávamos envolvidos quando pecamos. Temos a obrigação, para a validade do Sacramento da Confissão, de confessar todos os pecados graves que nos lembramos e que não foram confessados ainda. Mas, é importante que você também confesse seus pecados veniais, mesmo que não seja uma obrigação, porque o sacerdote terá a oportunidade de também te orientar em como lidar com as pequenas falhas e assim você poderá ser ajudado na busca da vida de santidade nas grandes e nas pequenas coisas.

Leia mais:

:: Seja anunciador da misericórdia
:: O nome de Deus é misericórdia

5 – Rezar o ato de contrição

Rezar o ato de contrição diante do sacerdote, é um gesto que manifesta o arrependimento, o desejo de não mais pecar e de viver na graça de Deus, numa caminhada de conversão.

Papa Francisco diz que, recebendo de Jesus a remissão dos seus pecados, o ser humano é iluminado na verdade a respeito da cruz de Cristo e da Sua vontade. No rosto de Deus misericordioso que nos perdoa, o homem descobre um rosto de um Pai que não renuncia a nenhum dos seus filhos.

Deus quer que você entenda a bênção que é o Sacramento da confissão, que você entenda que estamos no tempo da misericórdia. Se confesse com frequência, aproveite bem este tempo.

Transcrição e adaptação: Regiane Calixto

Adquira essa pregação pelo telefone (12)3186-2600


Gabrielle Sanchotene


Missionária da Comunidade Canção Nova

Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo