Libertos de nossas prisões

Frei Gilson prega na Quinta-feira de Adoração

Frei Gilson
Foto: Jorge Ribeiro/cancaonova.com

Só somos libertos das prisões do pecado pelo compromisso com Cristo

 

Nos evangelhos encontramos a história de uma mulher que por dezoito anos viveu possessa, em sofrimento, numa prisão. Hoje, quantas pessoas vivem presas pela depressão, pelo desemprego, pela doença. No caso daquela mulher a raiz da enfermidade física estava ligada ao seu estado espiritual. E o que isso vem nos dizer hoje? Que nossas saúde, é sim, afetada pela nossa condição espiritual. 

Um espírito doente leva o corpo à doença

Quem tem um espírito doente, acaba com o corpo doente, pois nós somos compostos de corpo e Espírito não desvinculados, e um afeta ao outro. No caso daquela mulher seu estado espiritual a fazia viver encurvada, oprimida por um espírito maligno. O homem resignado ao pecado também vive curvado, incapaz de olhar para frente, olhando apenas para as coisas de baixo.

Só Jesus pode endireitar uma vida curvada

Deus é capaz de endireitar a vida do homem e da mulher, assim como fez com aquela mulher, Ele pode libertar do jugo do pecado e da opressão do mal. Mas é preciso crer que Ele tem o poder e nos erguerá independentemente da nossa situação e, assim, dirá a nós: “você está livre”.

Cristo, na Cruz, nos libertou! Mas por que tantos vivem presos, escravos do pecado? Quem quer ser liberto precisa aceitar a libertação que vem do sacrifício d’Ele, porque Ele morreu para que todos fossem livres! E como nos exorta o apóstolo Paulo na carta aos Gálatas: “Não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão”, pois se não permanecemos com Ele, voltamos à prisão e ao jugo do pecado.

Devemos ter cuidado para não voltarmos à prisão do pecado

Mas é possível voltar à escravidão? Sim, pois se não seguimos um caminho de santificação, nossa natureza nos arrasta de volta à escravidão do pecado. Para ser liberto é preciso  livrar-se das correntes, e que correntes são essas? São os pecados, pequenos e grandes, aqueles a que nos apegamos e não queremos deixar de cometer, pois nos dá um prazer momentâneo.

Todos pecamos e a Palavra nos diz que aquele que afirma não pecar, peca! Porque está mentindo. O pecado faz parte da natureza humana, essa é carente da transformação que só vem por meio do sangue de Cristo. Mas há uma diferença entre pecar, lutando para viver uma vida de santidade e pecar conscientemente, entregue à prisão e à escravidão do pecado.

A libertação do pecado só vem mediante uma escolha

É necessária uma escolha consciente para ter uma vida de santidade. No dia em que eu e você optarmos por uma vida de santidade, o diabo perderá o poder sobre nós! Escolher é abrir mão da vida de pecados e optar por seguir o caminho que nos é proposto por Cristo: um caminho de libertação da prisão do pecado.

Só alcançaremos a verdadeira liberdade, a verdadeira felicidade, quando renunciamos ao pecado, faça pois a sua escolha, tome a posição e seja livre da prisão do pecado! Devemos morrer para o pecado e estarmos vivos para Deus.

Assista a pregação completa:

Leia também:
Livres de todo mal
Libertos da escravidão do pecado

Transcrito e adaptado por Jonatas Passos


Frei Gilson


Irmãos Carmelitas Mensageiros do Espírito Santo

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo