A paciência é o caminho daqueles que buscam a santidade

Padre Adriano Zandoná

Padre Adriano Zandoná
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Para viver melhor é preciso cultivar as virtudes 

Em nossa vida existem virtudes que precisamos cultivar para viver melhor, e essas são essenciais. Podemos citar, com base na Doutrina da Igreja, as virtudes cardeais: Fortaleza, Temperança, Justiça e Prudência. Além dessas, há as virtudes descritas por Paulo, na carta aos Gálatas, capítulo 5, que são os Frutos do Espírito.

Paciência: um fruto necessário em nossos dias

Dentre os frutos, trabalharemos o Fruto da Paciência. Com a evolução tecnológica, perdemos cada vez menos tempo em filas e outros afazeres que nos forçavam a nos dominarmos e esperarmos. Infelizmente, todas essas facilidades não aboliram a necessidade de amadurecermos a capacidade de esperar.

A passagem que nos norteará, nesta reflexão, encontra-se no Salmo 29,6:

“Porque a sua indignação dura apenas um momento, enquanto sua benevolência é para toda a vida. Pela tarde, vem o pranto, mas, de manhã, volta a alegria.”

Deus nunca nos abandona

Se a angústia e o medo tiraram a paz do seu coração, existe um Deus que nunca o abandonará. Quem espera em Deus nunca é confundido. Pessoas podem decepcionar você, mas Ele não falha.

A certeza da nossa fé

Papa Francisco nos ensina que nunca devemos permitir que nos roubem a esperança; e a forma de fazermos isso é sempre nos recordando qual é a nossa certeza e o fundamento da nossa fé.

Nossa esperança, muitas vezes, definha, pois pensamos segundo nosso tempo, mas nos esquecemos de que Deus não está condicionado a nosso tempo.

Leia também:
Vocação à santidade: Somos filhos de Deus
Ser santo com os santos
Jovem, aprenda a perseverar na luta pela santidade
O sofrimento prova a fidelidade e gera a esperança

Quando passamos por momentos de dificuldade, nossa percepção é que nosso sofrimento e nossa angústia não terão fim, mas se cultivarmos a certeza da graça de Deus sobre nós, teremos a convicção de que nenhum sofrimento será para sempre.

Os males da modernidade

As gerações atuais tem de ter cada vez mais para sentir cada vez menos; a percepção do tempo é menos acentuada, o significado dos momentos cada vez menos vivido e mais registrado. A ansiedade, mal deste tempo, é fruto dessa decepção.

Sem paciência não há santos

Sabia que nenhum santo se tornou santo sem paciência? Pois não há martírio sem que se suporte a provação, sem certeza da vitória final. Claro que nem todos sofreram o martírio de sangue, muitas vezes, é um martírio branco, mas a paciência é sempre vital.

Tempo é investimento

Vivemos uma cultura do descartável, e nisso o tempo também é englobado. Tempo é investimento, e quando exercitamos a nossa paciência, estamos investindo na nossa santificação.

“Quem espera em Deus nunca é confundido. Pessoas podem decepcionar você, mas Ele não falha” Padre Adriano Zandoná
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Ter paciência consigo mesmo

A paciência tudo alcança quando espera em Deus. Muitas vezes, ao trilharmos os caminhos de Deus, percebemos como nossos próprios caminhos são tortos, e nós precisamos nos aperfeiçoar para entrar nos moldes de Deus. Ter paciência significa também ter paciência consigo mesmo, não desistindo de alcançar a santidade.

A importância da paciência

Existem coisas no viver com as quais temos de conviver, semelhantes a um tumor para uma pessoa que sofre com câncer, pois se arrancarmos com violência afetamos a todos os órgãos em redor. Mas se primeiro murchamos, suportando uma rádio ou quimioterapia, podemos salvaguardar o restante do corpo.

Existem problemas em nossa vida que, caso tentemos solucionar com violência e brusquidão, não afetará apenas a nós mesmos, mas as pessoas a nossa volta. A paciência é o caminho para alcançarmos a melhor solução.

Devemos cultivar a certeza no amparo divino

Não importa quão grande ou complexo seja o problema ou o sofrimento, é preciso sempre cultivar em nós a certeza de que existe um Deus que nunca nos deixa, que nenhuma situação durará para sempre, e que Ele está conosco.

Transcrição e adaptação: Jonatas Passos

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo