As 5 características da verdadeira devoção a Nossa Senhora

Alexandre e Roseni

As 5 características da verdadeira devoção a Nossa Senhora

Alexandre Oliveira e Roseni | Foto: Paula Dizaró/cancaonova.com

Roseni: São Luís Maria Grignion de Montfort em seu livro “Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem Maria”, cita 5 características do verdadeiro devoto de Nossa Senhora.

A primeira característica é a interior, parte do espírito e do coração, do amor que se formou por Nossa Senhora. A segunda característica é terna, de ternura, no sentido filial, confiança de um filho em sua mãe em tudo, de modo simples, mas sincero. A terceira fala que: quando essa devoção é verdadeira é também santa, impulsiona uma alma para a santidade, impulsiona uma alma na luta contra o pecado. A quarta característica é constante, ela firma uma alma no bem e a ajuda a perseverar em suas práticas de devoção. A quinta característica é desinteressada, o devoto ama Maria não porque Ela lhe faz algo, ou porque vai lhe dar algo; ama porque Ela merece ser amada.

Eu vou dar um exemplo sobre a quarta característica: a verdadeira devoção firma uma alma no bem. Eu já li esse livro há mais de 10 anos, ainda rezo com ele, mas quando o li preparando essa pregação, lembrei-me do padre Jonas Abib na luta pela constância. Lá no começo quando entramos na comunidade, ele nos contou que quando ele era seminarista (entre a adolescência e a juventude), tinha um mau hábito que não estava conseguindo vencer, então, ele conversou sobre o assunto com o diretor espiritual dele. Então, esse disse ao padre Jonas para que todas as noites, antes de dormir, se ajoelhasse diante da sua cama; rezasse três Ave-Marias e entregasse a Virgem Maria aquela situação que não estava conseguindo vencer. E, com esse testemunho, o padre Jonas diz que, fazendo assim constantemente, ou seja, com a devoção constante, ele conseguiu vencer a aquele mau hábito.

Testemunho sobre devoção constante e terna

Eu quero testemunhar que, quando eu e o Alexandre namorávamos, mesmo dentro da Canção Nova e namoro sendo namoro, nós tínhamos os desejos e os hormônios muito ativos. Nós estávamos numa época muito tentados em nossa sexualidade, e pensávamos: “Como vamos conseguir viver a castidade desse jeito?”. Então, me lembrei do padre Jonas, e, todas as noites antes de dormir, ajoelhava-me aos pés da minha cama e pedia a Nossa Senhora a graça de viver a castidade. E vencemos! Vencemos no namoro, no noivado, nos casamos e fomos adquirindo cada vez mais essa pureza pela intercessão de Maria.

Um outro exemplo, agora sobre a característica terna, no sentido filial, São Luís fala que é no sentido de confiança na mãe.Você entrega algo e sabe que entregou para a mãe e pronto.

Ontem, estava em casa, fazendo uma determinada coisa de casa e rezando uma Ave-Maria atrás da outra por uma situação que já tinha entregado várias vezes a Nossa Senhora. Com todas as minhas forças; entregava, entregava… Mas quando acontecia alguma coisa, eu ia lá e pegava de volta. Porém, ontem, enquanto eu estava cuidando da casa e rezando uma Ave-Maria atrás da outra, Nossa Senhora falou aos meus ouvidos: “Você me entrega e pega de volta, não está confiando inteiramente em mim”.

Leia mais:
::Maria, Mãe e modelo da Igreja
::O sim de Maria é o sim de Jesus

Ser um verdadeiro devoto de Nossa Senhora é uma luta constante, não existem devotos perfeitos, mas existem aqueles que estão lutando pela santidade e que querem se aproximar d’Ela para chegar cada vez mais perto de Jesus.

No livro, São Luís fala que Maria trouxe Jesus ao mundo na primeira vez e vai trazer na segunda vez. Se tem alguém que pode nos ensinar o caminho da santidade, nos preparar para Jesus, se queremos estar preparados para essa vinda, nós temos de entrar para o exército de Nossa Senhora, aprendendo amar a Jesus desinteressadamente. Nossa Senhora está suscitando um exército de pessoas que queiram amar a Deus. E se você quiser isso, você vai conseguir, pois Ela vai te dar.

Peça a Nossa Senhora para aprender a ter a fé e o amor que Ela teve por Jesus. A fé que tem sede de almas, a fé pura que não tem como Deus não aceitar. Diga: “Eu quero essa fé de Maria!”

Alexandre: A verdadeira devoção nos leva para Jesus. Ele quer reinar neste mundo, que é a nossa alma e o nosso interior; depois, o mundo um pouco maior, que são os nossos relacionamentos, a nossa casa; e isso se amplia para o mundo todo, onde Ele reinará, o reinado definitivo, isso tudo por meio de Maria.

Roseni: A verdadeira devoção, mais do que ler e falar, nós vamos rezar. Posicione-se diante de Nossa Senhora e reze pedindo a restauração do seu amor por Ela. Peça que Ela te visite com Seu amor terno. A verdadeira devoção consiste em amar a Nossa Senhora, amar porque Deus a escolheu e quis nos dá-La como nossa mãe, porque sabia que nós não conseguiríamos seguir sozinhos.

Transcrição e adaptação: Rebeca Astuti.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo
LUZ DA FÉ