Alegria no Sofrimento

Alexandre Oliveira
Foto: Paula Dizaró/cancaonova.com

Para ter alegria em meio ao sofrimento, é preciso experimentar a verdadeira transformação no Espírito

Nesse tempo do Advento nos preparamos para a vinda do Senhor. A vinda se dá por três formas. A primeira é a vinda física d’Ele a este mundo; a segunda é Ele conosco todas as vezes em que participamos da Eucaristia; a terceira forma é a Sua segunda vinda para encontrar a Sua Igreja e, é para essa que nós estamos nos preparando.

Eu e você somos fracos, nossas misérias e limites são imensos, somos indignos diante da santidade de Deus. Nos confessamos e voltamos a cair no mesmo pecado; nossa natureza é falha, mas Ele é perfeito, e a santidade deve ser o nosso objetivo.

A forma de trabalhar de Deus

Esse Senhor que vem é forte, digno, santo e transformador, então, devemos apresentar a Ele a nossa necessidade de transformação, a nossa indignidade e confiar que Ele é poderoso para nos transformar.

Fascinante é a forma de trabalhar do nosso Deus, contrariando a forma de pensar do homem, que diante do poder d’Ele espera que Ele se apresente em majestade, mas Ele escolhe se manifestar de forma simples.

Boa árvore dá bons frutos

Diferente do que pensavam os religiosos do tempo d’Ele, Jesus nos ensina que a árvore se reconhece pelos frutos, ou seja, autoridade não vem de palavras eloquentes, mas do exemplo e propriedade no Espírito. Isso não é fruto de vestimentas ou títulos, mas de uma santificação que se demonstra por obras.

Como tem sido nossas obras? Como tem sido nossas palavras? Devemos ter cuidado com os frutos que temos apresentados, pois se estamos transformados, se o amor de Deus está em nós, como vamos apresentar algo que não seja amor?

Jesus nos convida a viver em comunhão com Ele, e essa comunhão é compreender que nossas palavras devem ser as palavras d’Ele. Quem não se compreende isso, não consegue ser “árvore boa” na vida das pessoas, e assim, sua vida não é exemplo.

Conheça a websérie Luz da Fé 

Advento é tempo de despertar e se converter

Vamos abrir nossos olhos, vamos deixar Ele trabalhar em nós, nos transformar. Vamos sair de nós mesmos, enxergar o outro. Nunca a palavra foi tão mal usada, quanto nos tempos de hoje, mas se seguirmos o exemplo de Jesus, que é a própria Palavra, seremos portadores de frutos de vida para aqueles que estão a nossa volta.

Temos que buscar falar como Jesus falou, agir como Jesus agiu. Ser cristão é isso, é imitar a Cristo! Neste tempo do Advento devemos nos lembrar que é tempo de conversão, de santificação. Cuidado com suas palavras, cuidado com suas atitudes, o autoexame nos faz calar quando necessário e esperar o melhor momento de falar. Vamos buscar discernimento e conversão.

Deixar-se conduzir pelo Espírito é surpreender no amor, o Natal não é despender dinheiro, não é presentear com presentes caros; Natal é demonstração de amor. Vamos nos inspirar em Jesus que é a suprema demonstração de amor.

Assista a um trecho da pregação:

Leia também:
O amor e a misericórdia caminham juntos
Perdão e reconciliação, via de conversão

 

Transcrito e adaptado por Jonatas Passos


Alexandre Oliveira


Missionário da Comunidade Canção Nova

Facebook
Twitter

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo